segunda-feira, 30 de agosto de 2010

MATELANDIA/MARILIA/RIO

Em Matelandia,que fica a meio caminho entre Foz e Cascavel,ficamos no hotel do Joao Batista,que nos recebeu com todas honras da casa e nos levou a Madianeira,cidade vizinha para jantar num simpatico restaurante italiano.Cervejinha,trocas de experiencias nas viagens e fomos dormir.Dia seguinte tocamos para Marilia,onde chegamos depois de aproximadamente 700kms.Ficamos no Sun Valley,hotel que sou fregues desde 1985.Depois fomos ao Chaplin,restaurante e pizzaria,point na cidade.Apareceram Nelice e Laerte,Celine e Vitoria,j
Jamela e Lena,Ricardo,Tonhao,Ana e Rafaela , Paula,Bila e Neusinha e outros amigos que passaram por ali.Muito chopp e pizza,muita conversa e relatos de nossa viagem.
Dia seguinte trecho final parao Rio,870kms.Depois de um cafe da manha no hotel,onde Jamela veio e nos mostrou o livro de fotos lindas de sua viagem solo a Chapada dos Veadeiros na sua nova GS Adventure,tomamos o rumo do Rio e no ultimo pedagio da Dutra estavam lá nos esperando nosso amigo Escorse e o Carlao que nos escoltaram até o Leblon onde terminou essa viagem.
Em casa nos esperavam Marilia e Renata e Paula que nos preparou um belo jantar,com direito a arroz e feijao que eu nao comia a 71 dias e uma Veuve Clicquot geladinha pra comemorar.
Quero insistir no agradecimento a todos voces que prestigiaram e nos incentivaram com seus comentarios,sem os quais com certeza esse blog e esses relatos nao teriam tido continuidade.
Um grande abraço a todos.

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

RESISTENCIA

De Salta a Resistencia foram 820kms praticamente de reta pela Provincia do Chaco,uma zona seca e sem nada pra ver,só estrada mesmo.Acho que daqui pra frente vai ser isso.Amanha devemos entrar por Foz e dormir em Matelandia,que fica entre Foz e Cascavel,no hotel de nosso amigo Joao Batista,que nos ajudou muito com suas dicas e opinioes ja que ele e um amigo de Curitiba fizeram mais ou menos esse roteiro no ano passado.
Gostaria entao de deixar registrado aqui meu agradecimento de coraçao a todos que acompanharam e participaram dessa jornada:à Renata minha filha que contribuiu criando esse blog, a quem eu quero dizer que eu sempre cumpro o que prometo:prometi a ela,que estava aflita,(parecia na cara dela quando se despediu de mim em frente de casa que eu estava indo para a guerra)que ia voltar e sem um arranhao e estou cumprindo:5a.f estou em casa se Deus quiser.As minhas filhas Marina e Marília que tambem muito me incentivaram e deram a maior força pra eu ir em frente com esse projeto,a Paula que tambem participou ativamente incentivando e agitando,os amigos Kothy,Christian e Escorse que nos ajudaram muito no Galeao pra embarcar as motos,ao Vitor Braga que nos conseguiu os mapas de GPS da Russia,EUA,Europa e Peru que quebraram o maior galho,ao Joao Batista pelas dicas e conselhos,a Silvia que fez todo o trabalho de colocar as fotos no blog,criar as pastas,etc...Vincent e Caroline,em Paris que nos cederam a garagem,nos levaram pra jantar e que bolo de chocolate!... todos os amigos que fizemos pelo caminho ,o Zhenia e Olesia em Moscow,que foram nossa base de apoio na Russia toda,ao Vasily nosso amigo de Vladivostok pela ajuda e hospitalidade em sua casa,o Anatole em Krasnoyarsk,que reuniu toda sua turma num jantar conosco,ao Arnaldo Cotia pelas suas aulas de russo,sem as quais teriamos ficado perdido nas placas no meio da Siberia, enfim todos que nos ajudaram diretamente e a voces todos que participaram com seus comentarios,apoiando,incentivando,brincando(né Edu),mas com isso me estimulando a continuar escrevendo diariamente mesmo cansado até de madrugada sabendo que tinha que acordar as 6 da manha seguinte e hoje poder ter esse registro diario dessa grande jornada pelo mundo.Até aqui foram 28.500kms e acredito que deve fechar em mais de 31.000 até o Rio,cruzamos 23 países em 3 continentes,enfrentamos tudo aquilo que nos alertaram(e assustaram),máfia russa,criminosos e bebados e estradas horrorosas na Siberia,violencia dos narcotraficantes no Mexico,na America Central,na Colombia,no Peru,enfim como eu ja disse,se fossemos escutar e pensar nisso nao teríamos saído de casa.
A motivaçao inicial sem duvida foi o desafio,o espirito de aventura,a vontade de ir longe pra poder andar bastante de moto,mas sem duvida acaba sendo tambem uma viagem de autoconhecimento,pois de 70 dias que deve ser o total que demoramos para fazer essa Volta ao Mundo,acredito que 80% ou 56 dias,em media 10 horas por dia, dá um total de 560 horas em cima de uma moto,pensando,refletindo em tudo.
O que vem assim de imedato como reflexao pode parecer coisa de frases feitas,(Yes,we can)mas é uma grande verdade e eu experimentei isso na pratica:tudo é possivel se realmente tivermos a vontade , a determinaçao e a coragem de ir em frente,nao às cegas,mas com planejamento,organização e eficiência.
Em segundo vem a constatação de que o bicho é sempre mais feio do que parece,ou seja,depois que voce está vivenciando aquilo que parecia ser perigoso,dificil,assustador,percebe que todos esses sentimentos fazem parte da incerteza do desconhecido,da ansiedade do que vai enfrentar,ou seja,fabricado dentro de nós pelo nosso imaginário,nao pela realidade.A Russia por ex. tem um povo amistoso,cooperativo,caloroso.Mexico,El Salvador,Honduras,Nicaragua, Costa Rica,Panama,Colombia,Equador,Peru tem problemas de violencia?Claro,mas nada diferente do RJ ou SP,cruzamos todos esse paises e nao vimos nada que justificasse essa preocupaçao.
Penso que dá para fazer uma analogia disso para o resto dos temas da vida:muitas vezes deixamos de fazer algo que queremos muito,imobilizados pelo medo imaginário,pela bola de neve que vai aumentando em nossa cabeça quando começamos imaginar o que pode acontecer se dermos tal passo.
Quero deixar meu incentivo entao a todos que tem um sonho,um projeto,uma idéia que coloquem em pratica,planejem,organizem e façam,deixem os fantasmas(a Sibéria) para trás e vão em frente com a cara e a coragem como eu fui.
Outro fato importante que aconteceu comigo foi o encontro com a fé.Sim,porque de todos esses "perigos"que citei,o maior foi o que nao citei,que tem a ver com as forças da Natureza,pois essas nao podemos controlar,os fenomenos naturais,chuvas pesadas,inundacões,desmoronamentos,tempestades.Vale lembrar que enfrentamos tudo isso de moto,sem proteçao alguma,em lugares desconhecidos e longinquos.Nesses momentos,como a inundaçao e desmoronamentos nas estradas em Honduras nao tem jeito,voce tem que acreditar e pedir proteçao a uma Força Maior.Houve varios momentos e situacões críticas que somente com essa crença de que poderia pedir e contar com uma protecão maior do que tudo aquilo que nos apresentava,dava o conforto e a segurança de ir em frente.
Para mim essa viagem acabou sendo tambem o coroamento de um momento de grande completude no ambito pessoal, a nível tanto de equilibrio emocional , afetivo e espiritual,reflexo de uma busca árdua e contínua do conhecimento de si mesmo.
Divido com voces todos entao minhas frases favoritas:

Conhece-te a ti mesmo - Sócrates

Enquanto nao fizeres do seu insconsciente,consciente,ele vai te dominar e é a isso que chamam de Destino- Carl Yung

Se voce procurar se conhecer e sempre se melhorar como pessoa,pode ser que seja feliz ainda nessa vida. -LML

Acho que sou um privilegiado,pois consegui....

domingo, 22 de agosto de 2010

CALAMA/ATACAMA/SALTA

Saímos de Calama as 8hs e paramos em San Pedro de Atacama para abastecer pois la em cima da Cordilheira nao tem gasolina.Fizemos a Aduana e subimos por volta de 10,30.O dia estava lindo ,céu azul,sem uma nuvem,temperatura oscilou entre 4 e 12 graus.Nada demais,nao precisamos nem usar nossa jaqueta elétrica,nosso equipamento normal segurou bem o frio.
Essa regiao é muito bonita e única no mundo,nao tem nada parecido,recomendo uma visita a San Pedro do Atacama,conhecer o Geiser do Tatio,O Vale da Lua,os Salares,as Lagunas Altiplanas com os Flamingos ...nao precisa vir de moto,podem pegar um voo para Santiago com conexao para Calama,é rapidinho.Podem ficar no Explora Atacama ou em pousadas no centro,sao mais acessiveis e charmosas.A travessia do Paso de Jama é um capítulo a parte.O visual com um dia desses é indescritível,só vivendo isso mesmo.Montanhas de tons de marron os mais diversos,formaçoes de gelo ainda,agua da neve derretida formando pequenos lagos ,lhamas e guanacos cruzando a estrada,formam uma paisagem incrivel.Logo após a saida de Atacama ja se comeca subir de uma altitude de 2.500ms e vai subindo subindo ate alcancar cerca de 4.800.O ar rarefeito vai deixando seus reflexos na moto,pelo problema da mistura ar/combustivel e na gente,que vai tendo dificuldade de respirar.Do outo lado,no inicio da descida,a 4.200ms é a Aduana Argentina.Voce desce da moto e comeca a andar,parece que as botas sao de chumbo e o esforco torna-se mais intenso.Em funcao do Mercosul os tramites foram rapidos.Descemos até S.S.Jujuy e paramos para abastecer quando apareceu um grupo de uns 10 motoqueiros.Conversa pra ca pergunta de lá um deles perguntou onde iriamos,se sabiamos o caminho e acho que como estavam loucos pra arrumar um motivo pra andar de moto resolveram escoltar-nos até o hotel que iamos ficar em Salta e viemos com esse bando de argentinos.Como nao tinhamos GPS da Argentina essa escolta valeu como um.Motoqueiros é assim...
Bom,agora é só estrada pra chegar em casa.Vamos ver se vamos ter tempo de fazer umas consideracoes finais sobre a viagem.Abracos a todos,obrigado pela força mais uma vez,que com sua participacao,cada qual a sua maneira nos incentivou a prosseguir nessa maratona motociclistica.

AREQUIPA/CALAMA

Apesar das dificuldades e desencontros conseguimos praticamente nosso objetivo hoje que era chegar a Calama ou San Pedro de Atacama.Para isso rodamos um pouco mais de 1.000kms sendo que em torno de 320kms foram já de noite,mas conseguimos chegar a Calama que fica bem proximo de Atacama,pois amanha temos que chegar a Salta na Argentina e para isso temos que cruzar o Paso de Jama,a ligacao do Chile e Argentina através da Cordilheira.Apesar da distancia nao ser grande,em torno de 750kms ,a travessia é dificil e demorada,pois subimos a 5.000ms de altitude,esperamos muito frio lá em cima e depois tem a Aduana Argentina que é meio demorada e a descida do lado argentino tambem é lenta pois tem muitos "Caracoles",curvas em S bem acentuadas que devem ser feitas com calma,mas nada demais,é só tudo meio lento mesmo.A previsao é amanha em Salta,2a.f em Corrientes,3a. em Foz,4a.f Marilia e 5a.f Rio de Janeiro,salvo imprevistos que sempre acontecem numa viagem desse tipo.
Entao até Salta.

sábado, 21 de agosto de 2010

CHINCHA -AREQUIPA

Saímos de Chincha,onde dormimos essa noite as 8hs e após uns 100kms entramos de novo num deserto lunar.Ai rendeu bem,bom asfalto,grandes retas,inclusive numa hora eu olhei no GPS e dizia:virar a 480kms!Aí pensei,será que essa reta vai ter 480kms?Mas nao era,depois de uns 10kms teve uma curva,era só dizendo quando ia mudar de rumo.Passamos pelas Linhas de Nazca,desenhos geométricos feitos pelos pré-incas no solo pedregoso do deserto.Dizem que eram estudos astronomicos e foi comprovado cientificamente a idade de 2.000anos.Existe um passeio de aviao que sobrevoa essa area e dá pra ver nitidamente,sao varios desenhos.De onde subi pra tirar fotos dá pra ver 2 bem nitido,mas la de cima deve ser uma coisa de impressionar.Falei pro Marcio que era coisa de alienigenas ,ele nao engoliu e disse que nosso negocio era dar a volta ao mundo e nao ficar procurando ETs e fomos embora.Foram uns 200kms assim e de repente quase mergulhamos no Pacifico.Depois de uma elevaçao,demos de cara com o Oceano e a estrada vai margeando,algo como a Rio/Santos,só que é o tempo todo coisa de 100/200ms do mar e muito vento.Cada curva é uma paisagem diferente,depois a estrada c0meça subir e vai bem alto ainda margeando e fica mais bonito ainda.Só que no inicio em varias curvas nao tem protecao,voce faz a curva do lado do penhasco e ve o mar coisa de 500ms lá embaixo.Acho que talvez porisso alguem me falou que era muito perigosa essa estrada,mas nao tem nada demais nao,nada que se compare ao Paso di Gavia,nos Alpes Italianos,ali é assim só que a estrada é super estreita,só passa um carro,se bobear cai la embaixo mesmo.no entanto esse trecho durou uns 200kms e acabou nos atrasando pois tinhamos que andar com cuidado.Chegamos em Arequipa por volta de 18.30,ja escuro e estamos a 330kms do Chile.Até San Pedro de Atacama daqui sao 1.100kms e com Aduana e tal nao sei se vamos chegar,mas vamos tentar.

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

PERU ainda

Depois da confusao no transito pra sair de Trujilo(acho que os peruanos sao os mais bagunçados no transito até agora,ganharam dos russos),pegamos a estrada e poucos kilometros depois veio de novo "A Nuvem".Ontem esqueci de contar,mas quando estavamos chegando a uns 50 kms de Trujilo,ainda de dia,vi uma nuvem negra vindo em nossa direcao,achei que ia cair uma tempestade,mas nada de chuva,depois comecei achar que era fumaça de queimadas de cana,que tem muita por aqui,depois comecei a ver que era fumaça demais e fiquei intrigado com aquilo,na nossa frente tudo escuro daquela nuvem negra e eu olhava pelo retrovisor e via ainda sol e dia claro lá atrás.Cheguei aé achar que podia ser nuvens de cinzas de algum vulcao.Pois hoje cedo a mesma coisa,só que estava tudo encoberto por aquela nuvem escura.A medida que fomos andando e acompanhando o mar,comecei a achar que a água condensada se misturava com a areia em funçao do vento forte e criava esse ambiente e paisagem meio lunar.Se nao fosse pelo asfalto e as faixas de demarcaçao das pistas dava pra achar que estava na lua mesmo,pois era só o que se via.As montanhas de cores marron escura,com manchas de bege por causa da areia que o vento depositava em cima,as dunas de areia e mais essa nuvem escura que envolvia tudo ,criava mesmo um ambiente de outro mundo.Nunca vi esse fenomeno em nenhum outro lugar,acho que deve ter algo a ver com El Ninõ,é realmente algo ímpar e até meio assustador no inicio,até voce entender o que está acontecendo.Especialistas,apresentem suas explicacões.Edu,nao vale sacanear...
Mas no fim a coisa rendeu hoje,conseguimos passar por Lima(transito caótico).Entramos por uma avenida,tipo Av. Brasil,só que com muito mais favelas,pobreza total,aliás é só o que se ve por aqui,pelos menos nessa regiao toda que passamos.Rodamos mais uns 250 kms,o que deu um total de uns 800 hoje e estamos a uns 800 da fronteira Peru/Chile.Se nao encontrarmos muita obra na estrada e cidades pra atravessar nesse trecho,devemos conseguir chegar ao Chile amanha.Vamos ver.Vou tentar botar algumas fotos do Peru e algumas que tirei ainda no Equador.
Abraços

PERU

Conseguimos sair as 7 de Machala e tomamos rumo da fronteira onde chegamos por volta de 8.30.Primeiro passamos uma ponte nova que nao tinha nada e quando percebemos que ja estavamos dentro do Peru percebi que algo estava errado pois tinhamos que passar primeiro pela saída do Equador.Voltamos e descobri que tinhamos que entrar na cidade e passar na Aduana equatoriana antiga e depois na do Peru,onde pra variar cópia daqui cópia dali levamos uma hora e meia. O lugar é uma piada,muito pior que a fronteira do Paraguai.
Dali partimos com vontade de dormir em Trujilo a 750kms dali e a estrada e o GPS ajudaram muito,e é onde estamos agora.Grandes retas,bom asfalto,a unica coisa que atrapalhou um pouco foi o vento forte que sopra do mar.A estrada acompanha o litoral durante uns 130kms ,muitos barcos de pesca e pelo jeito muito peixe pois um monte de gaivotas voava em torno deles.Isso ao longo de todo esse trajeto.Depois a estrada entra um pouco para dentro e comeca uma paisagem seca,montes de terra dura e mais tarde uma paisagem meio lunar e entra de repente num deserto.Andamos uns 200kms sem ver nada,uma casa,um bar,nada.Num certo trecho só areia,mais nada,acho que o vento leva tudo,só ficam dunas .É preciso certo cuidado,principalmente ao ultrapassar os caminhoes,pois na ultrapassagem cria-se um vácuo que tem-se que compensar com o guidao.Mas perto do que pegamos na Patagonia quando fomos a Ushuaia,esse vento é um sopro,ou entao é porque ja estamos habituados a pilotar nessa condicoes.Amanha vamos tentar passar de Lima (uns 500kms daqui)e ver o quanto mais perto conseguimos chegar de Tacna,((uns 1.200kms depois de Lima)fronteira com o Chile.Vamos ver.

terça-feira, 17 de agosto de 2010

EQUADOR ainda

Domingo dia 16-8 dormimos em Quito e descobrimos perto do hotel um Shoping moderno e com um Fridays,onde tiramos a barriga da miseria,literalmente,um belo steak com pure,legumes e um brownie de sobremesa.Saímos do hotel 8.30 e a grata surpresa das carreteras do Equador continuou.Pista dupla de asfalto liso e novo,alguns desvios,mas dava para andar ali na media de 100.Passamos pelo Chimborazo,vulcao com 6.310ms de altitude,acho que é o mais alto da A.Sul,talvez do mundo(chute).A paisagem é linda,montanhas,mas quase tudo cultivado,a impressao é que sao micro propriedades agricolas,o que faz uma variedade de tons de verde,com as diferentes culturas.A estrada tambem sobe e desce,mas os angulos de subida e descida sao menores,o que dá pra manter uma velocidade mais constante.Como alegria de pobre dura pouco depois de RioBamba desconfiei que tinhamos errado o caminho e tivemos que pegar uma estrada alternativa,em termos de distancia nao aumentou muito,mas perdemos tempo e paramos em Machala,quase na fronteira com o Peru.Amanha vamos tentar sair cedo,devemos chegar na fronteira em 1 hora e vamos ver onde conseguimos chegar.Até LIMA sao uns 1.200kms.Será que dá?Agora temos uma vantagem:meu amigo e pentacampeao brasileiro de Motovelocidade,Vitor Braga me arrumou o mapa do Peru pro meu GPS,ja baixei,testei e está funcionando.Sem duvida vai quebrar o maior galho,chega de perguntometro.Aliás,cruzamos Guatemala,El Salvador,Honduras,Costa Rica,Nicaragua ,Colombia e Equador sem GPS,sem mapa sem nada,só perguntando .Do Chile pra frente ja conhecemos tudo de cor,entao agora a coisa vai melhorar.Até a proxima,vamos ver se vai ter internet pelo interior do Peru...

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

COLOMBIA/EQUADOR

Hoje a coisa melhorou bem.Saímos de Popayan as 7.30 e chegamos em Ipiales,na fronteira,após 310kms,por volta de 12.30.Pois é,5horas,nao tem jeito,a estrada melhora,bem menos movimento,mas montanha,curvas e mais curvas ,a coisa nao rende.A Aduana no Equador é bem mais eficiente,nao fosse o funcionario estar atendendo o que me pareceu umas sacoleiras que estavam sendo tributadas nas mercadorias ,reclamando muito,o que nos levou uns 40 minutos esperando,no total foi 1 hora e meia.Isso só nos deixou tempo pra chegar em Quito por volta de 17hs,depois de 250kms.As estradas no Equador surpreenderam,asfalto liso,novo,bem sinalizado,montanhas tambem mas estradas mais modernas.Daqui a fronteira com o Peru sao uns 600kms mas o povo aqui fala em 12 horas,vamos ver se chegamos amanha.Abraços a todos.

domingo, 15 de agosto de 2010

CARRETERAS EN COLOMBIA(Caos)

Acordamos as 6 e saimos do hotel as 7.30.Já na saída um caos.Bogota inteira está em obras nas ruas e acho que hoje a populacao inteira resolveu sair da cidade,conclusao:TRANQUE,que é como chamam congestionamento por essas bandas.Achei que ia ser só na cidade mas depois que pegamos a Carretera a coisa conseguiu piorar.Bogota está a 2.640ms de altitude,entao logo se comeca descer pelas montanhas,estrada de mao unica ,muito caminhao,pessoas parando nos restaurantes ,um monte de vilarejos com quebra molas e a coisa nao anda.Quando olhei tinhamos levado 2hs e meia pra andar 100kms!E a média continuou assim,foram 6horas pra andar 300kms.A estrada desce a serra,depois sobe de novo e depois desce de novo,tudo em pista unica,milhares de caminhoes,pára tudo,tivemos que cortar pelo acostamento,contra mao,senao acho que estavamos lá até agora.A coisa só começou render depois de termos rodado uns 400kms e aí intercalava entre boa pista dupla e pista simples.Resolvemos parar em Popayan,depois de 10hs e meia pra andar 600kms,a cerca de 300kms de Ipiales, fronteira do Equador e a uns 230kms de Pasto,onde mora a aluna do meu irmao.Acho que até agora foi a pior estrada que pegamos,nao em termos de piso,o asfalto é até razoavel,mas em temos de transito e dificuldade de desenvolver,a coisa nao andava,dava vontade de sair voando...
Bem,pelo menos parece que o pior passou la na serra.Amanha vamos acordar cedo cruzar a fronteira e vamos ver até onde conseguimos ir.Mas Edu,nao em essa de desistir nao,sou brasileiro e nao desisto nunca...

sábado, 14 de agosto de 2010

BOGOTA

Chegamos ontem,13/8,pontualmente as 19.15 depois de um voo tranquilo da Avianca.Viemos para o Ibis,bem no centro em frente ao Museo Nacional.A informacao era que as motos chegariam hoje,sabado,14/8 mas só conseguiriamos retira-las na 2a.f. pois a Alfandega estaria fechada.Nao me convenci disso e logo após o café liguei para a empresa que fez o transporte e me informaram que nao era nada disso,que poderiamos ir la as 11.30 e fazer os papeis na Aduana.As 11.30 estavamos la,fizemos a papelada e o que mais demorou foi a chegada das motos na nossa frente,o que só aconteceu por volta de 14hs.Viemos para o hotel,guardamos as motos na garagem e vamos sair amanha cedinho rumo a Cali,direcao do Equador.Nao há informacao alguma de distancias,nem no Google,nem no Bing,nem mapas para GPS,nao encontramos mapas rodoviarios para comprar,entao nao tenho a menor nocao de até onde vamos conseguir chegar.Vamos saber amanha.

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

PANAMA ainda

Bem ,chegamos aqui na 4a.,11/08 e pesquisando na Internet descobri que tinhamos que chegar dia seguinte até as 9hs para que as motos seguissem na 6a. para Bogota,via aérea.Fizemos tudo direitinho,fomos eficientes,mas o problema é que nao tinha voo da Girag na 6a. e as motos só vao poder seguir amanha,sabado.Ontem ficamos planejando um pouco o que fazer,que rota seguir depois da Colombia e por onde entrar no Brasil.Hoje aproveitamos e fomos visitar o Canal do Panama,muito interessante o sistema de reclusas e assistimos a passagem de uma navio grande e depois de 2 rebocadores do lado do Pacifico para o Atlantico.Depois tem uma sessao de video mostrando desde a construçao até os dias de hoje ,inclusive estao fazendo um Canal paralelo para navios ainda maiores.Passam por ano cerca de 14.000 navios,pagando em media 200.000 dolares cada,dependendo do tamanho pode ser muito mais.Agora estamos arrumando as coisas vamos almocar depois seguir para o aeroporto e pegar um voo da Avianca para Bogota as 18horas e devemos ficar lá até 2a. de manha para retirarmos as motos da Alfandega,pois nao funciona no fim de semana.Vamos aproveitar para conhecer um pouco pois dizem que vale a pena,apesar das bombas...vou tentar postar algumas fotos que tirei do Canal ,lá em Bogota.
Até lá.

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

PANAMA CITY-Ciclone extra super tropical

Bom,a pedidos da galera exigente tirei umas fotos do hotel/restaurante que ficamos na Costa Rica e explico:nao dava para colocar antes porque chegamos lá já de noite,essas sao de hoje cedo.Aliás choveu a noite toda.Desculpem tambem que nao estava sol,as fotos nao saíram boa,etc...mas falando serio as fotos nao mostram como é transado esse lugar.Já sei que vai sair piadinha,que depois de vaca,cachorro e porco,só faltava uma tartaruga gigante cansada...mas ela está vivinha,depois que tirei a foto apareceram umas 10 pessoas para leva-la e cuidar dela.Saimos por volta de 8.30 e depois de 270kms e 3 horas com chuva que ia e vinha chegamos a fronteira com o Panama.A estrada é estilo Rio/Santos,beirando o Pacifico,pena tanta chuva.Saída rapida de Costa Rica e nem tanto no Panama e pegamos a estrada de novo,para mais 500kms até Panama City.Foi só sair e la estava nossa nuvem esperando,agora com muita neblina e muita agua.Foram quase 3 horas de chuva pesada,ininterrupta,a sorte é que eu tinha colocado um som antes de sair e foi o que ajudou pra aliviar a tensao.Numa cidade no caminho demos de cara com um TG Friday's!(lembrei da Marina) e paramos e mandei um belo cheeseburger/bacon pra aguentar o tranco.Chegamos já de noite e amanha é correr atrás do esquema pra embarcar as motos pra Colombia.Vamos ver se dá certo de conseguirmos pra amanha mesmo.Abraços a todos.

terça-feira, 10 de agosto de 2010

COSTA RICA

Hoje vou contar de trás pra frente:nesse exato momento,20:45 do dia10/08, estou escrevendo na mesa de um bar e restaurante (do hotel) super charmoso na frente de uma praia em JACÓ(aqui falam RACÓ) na Costa Rica do lado do Pacifico,escutando SABOR A MI,depois de ter escutado muitas rumbas e salsas,ter tomado um Rum escuro costariquenho com coca cola,uma PinaColada e uma Corona e ter comido uns camaroes gigantes ao alho e oleo,com arroz e salada. O mar batendo logo ali depois dos coqueiros bem aqui na frente.Viemos parar aqui depois de ter passado pela fronteira e parado em Liberia uma cidade a uns 70 kms ja dentro da Costa Rica.Aliás,assim que passamos a fronteira,nossa recepcionista,aquela nuvem negra cheia de raios e trovoes estava nos esperando,parece que vem nos dar as boas vindas em cada país que entramos.Chove demais aqui nessa epoca,tempestades de verao.Paramos ali pois ja morrendo de fome vimos um MacDonald's e ali conversando com dois caras daqui,nos indicaram uma estrada nova,que ao invés de ir por San Jose,capital, para chegar na fronteira do Panama,vem pelo litoral do Pacifico,onde estao as praias mais bonitas e procuradas da Costa Rica.Alem da estrada ser melhor ainda ganhamos em distancia e tempo.Amanha vamos sair cedo para atingir a fronteira com o Panama e se tudo correr bem,chegarmos a Panama City,onde vamos embarcar nossas motos(e nós) via aérea para Bogota,na Colombia e comecar a ultima etapa,agora já no quintal de casa,a America do Sul.
Mais uma vez,obrigado a todos que tem nos acompanhado e deixado seus depoimentos,é uma força saber que tem amigos nos acompanhando e fazendo uma corrente positiva.
Abraços e até a proxima.

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

HONDURAS - Caos da Burocracia

Acordamos as 7hs,tomamos café e saímos em torno de 8hs.No estacionamento havia 2 homens com escopetas,guardas privados.Eu ja tinha notado que no posto de gasolina que tinhamos parado tambem havia guardas com escopetas e vi que numa loja na frente do hotel tambem havia.Perguntei para o guarda e ele disse que havia muito assalto e sequestros dos comerciantes ,entao aquilo virou uma rotina na cidade.Depois que saímos fui reparando na rua central e a maioria das lojas tinha sua segurança privada.Demoramos para achar a saída para Honduras,nao tem placas e fomos no boca a boca.Chegamos na fronteira por volta de 10:15 e tomamos um susto danado.Vieram uns 10 homens correndo em nossa direcao gritando mas logo percebi que estavam se oferecendo para agilizar nosso processo na Aduana e aí pensei:o negocio vai complicar.Depois de uns 10 minutos precisei dar um basta,disse que nao queria ninguem e que se precisasse chamaria.Mostramos o passaporte para um guarda e ele nos mandou seguir para o predio em frente.Todos vieram correndo atrás.Um deles tinha um crachá tipo de despachante aduaneiro e o Marcio resolveu seguir as instrucoes dele e quando comecei a ver como ia ser resolvi entrar nessa tambem e aí comecou a brincadeira.Eles nos levou a uma porta que tinha um gordo e esse nos pediu 3 copias do passaporte,3 do documento da moto e 3 da carteira de motorista,alem dos originais.Disse que devíamos voltar daqui 1/2 hora.O rapaz entao nos levou para o outro lado da rua para fazer a documentacao de importacao temporaria das motos.Mais 3 copias de cada documento e tivemos que pagar US$21,00,mas só ia ficar pronto mais tarde.Para adiantar tinhamos que ir pagar uma taxa no banco e chegamos lá estava a maior fila.O rapaz pediu entao 10 dolares para agilizar o pagamento e em 2 minutos saiu com os boletos pagos. Enquanto isso reparei que a fila nao andou 1 passo.Acho que só atendiam os que pagavam.Fiquei com pena daquela gente.Aí passamos no Gordo e ele mandou o Marcio entrar e eu esperar.Aproveitei e vi que tinha um cara lavando um carro e perguntei se ele nao queria lavar nossas motos pois ainda estavam imundas do caos da Guatemala.E aí fiquei la vendo o cara lavar e batendo papo com um cara na frente de uma casa de cambio,pra variar com uma escopeta na mao e aí o Gordo me chamou tambem e mandou entrar na porta misteriosa.Estava lá o protótipo do burocrata arrogante.Fiquei em pé,ele comecou fazer umas perguntas imbecis e depois entrou um cara com um problema e ele foi ligar para uma tal de Carla Gutierrez,uma funcionaria que tinha feito uma besteira e ficou discutindo com ela um tempao sobre o problema e eu ali em pé esperando.De vez em quando ele parava e fazia de novo as mesmas perguntas,meu nome,cor da moto,etc.. e comecou a preencher um documento e cada palavra que escrevia falava 10 minutos ao telefone.Depois de 1/2hora ele me deu um papel para ir pagar no banco de novo,mas antes tinha que tirar 3 copias desse papel e 3 copias de um carimbo que ele tinha colocado no passaporte,mas essas 3 copias tinham que vir com o carimbo do banco.Saí com o rapaz e fomos para as copias.Eu falei que era melhor pagar primeiro no banco pra tirar as copias ja com o carimbo,mas ele falou que o banco TAMBEM precisava da 3 copias.Conclusao,depois que o banco carimbou tivemos que voltar pra tirar mais 3 copias.Aí voltei lá no doutor,ele conferiu tudo e me entregou meus documentos e o papel da importacao da moto.Dali ainda tivemos que ir no outro guiche para pegar outro papel.Finalmente depois de 2 horas e aproximadamente 21 copias para cada um de nós saímos exaustos,morrendo de calor e se nao fosse o despachante acho que seria coisa de umas 5horas ali.Tomamo uma Coca gelada e atravessamos Honduras em 2 horas e chegamos na fronteira com a Nicaragua.A saída de Honduras foi rapida,mas a entrada na Nicaragua,mais taxas,mais papeis para as motos,mais seguro para as motos e ficamos ali pelo menos mais 1 hora.Muito calor,tomamos um Gatorade e partimos,pois queriamos chegar pelo menos em Granada,mais proximo da fronteira com Costa Rica.A estrada era boa,a paisagem muito parecida com Guatemala,El Salvador e Honduras,até parece que se está no mesmo país.Cadeia de montanhas dos 2 lados do vale,com muita floresta,muito verde e muitos vulcoes,o maior chama Momotombo .Mas de repente,pra variar uma tempestade de verao.Olhei para a frente e via aquela nuvem negra soltando raios e trovoes e mergulhamos nela.Chuva pesada,grossa,mas fomos em frente,e durou uma 1/2 hora e la na frente melhorou,mas a viagem nao rendia,quando saíamos de uma cidade e comecavamos acelerar,aparecia um cara de bicicleta comboiando umas vacas pelo asfalto,ou um cachorro atravessando a pista e até um porco gordao passou correndo na minha frente.Se nao sou esperto na freada ia voar toucinho pra todo lado.Ja estava comecando escurecer,por volta de 18hs quando chegamos em Managua,capital,onde decidimos ficar hoje,encontramos logo um bom hotel e depois do jejum desde manha conseguimos jantar bem no proprio hotel.Vamos ver o que nos aguarda amanha,mas dizem que Costa Rica é mais tranquilo,esperamos.

EL SALVADOR

Para compensar um pouco o dia de ontem,levantamos e tomamos um belo café da manha no hotel incluido nos U$95,00.Esperamos as roupas chegarem da lavanderia e saímos por volta de 11hs e chegamos na fronteira com El Salvador as 12.30.Foram umas 2 horas entre sair de Guatemala e entrar em El Salvador.Aqui a moeda é Dolar Americano direto.Voce paga tudo em dolar e recebe troco em dolar,eles nao tem moeda propria.Para nossa surpresa as estradas em El Salvador sao otimas.Andamos uns 10kms e paramos num posto para abastecer e pelas informaçoes daria para passarmos San Salvador e dormir em San Miguel,mais perto da fronteira com Honduras.E foi o que fizemos,foram mais uns 250kms,estradas boas,mas passando por dentro de algumas cidades e a sinalizacao indicando San Miguel nao existia entao perdemos algum tempo nelas pedindo informacoes que direcao seguir.Chegamos ja de noitinha,19hs com os raios ja mostrando uma chuva que vinha chegando.Foi entrar no hotel e ela caiu.É um Confort Inn,que justifica o nome.Bem novinho,confortavel,sem luxo,mas tem o essencial e por US$35,00 é outra pechincha.Amanha vamos tentar sair cedo,cruzamos a fronteira com Honduras a 60kms daqui(dizem que é a mais enrolada),depois mais 165 dentro de Honduras e entramos na Nicaragua.Aí vamos ver o tempo que gastamos nesse entra e sai de Honduras para poder ter uma ideia até onde vai dar para ir na Nicaragua.Acho que conseguir chegar na Costa Rica é meio improvavel,vamos ver.

domingo, 8 de agosto de 2010

GUATEMALA CAOS TOTAL

Chegamos na fronteira Mexico(Ciudad Cuauhtemoc)/Guatemala(La Mesilla) por volta de 10hs,fizemos a Aduana Mexicana rapidinho e por incrivel que pareça a da Guatemala tambem.Ao chegar parece que se está numa feira em uma cidade do interior do Nordeste,um mafuá danado nos dois lados.Partimos quase 11horas e comecamos a subir uma regiao montanhosa.Lá em cima entrou uma neblina forte e logo depois comecou uma chuvinha,que virou uma chuva,depois uma chuvona e depois uma tempestade que acho que nunca peguei uma igual.Era uma serra muito alta e a agua escorria pelas encostas já sem vegetacao,puro barro,argila e pedras,o asfalto era lama pura,tudo marron.A coisa comecou a piorar,o morro comecou a deslizar e ia engolindo a pista da direita,num dado momento uma parte deslizou e caiu uma cachoeira,aí pensei,vai desabar tudo...era um olho na pista e outro na encosta.Nao tinha onde parar,eu estava sem a parte impermeavel de dentro da calca e só com a camiseta e a jaqueta e a luva de verao,que molhou logo,comecou esfriar,caiu para uns 10 graus,mas molhado eu tremia de frio,mas era acelerar e descer o mais rapido possivel.Depois de 1 hora descendo a coisa comecou a melhorar, a chuva diminuiu comecou a abrir um clarao e deu pra respirar um pouco,mas logo em seguida aquela agua toda que desceu formou um lago marron na pista lá embaixo e tivemos que subir o canteiro para a pista contraria para atravessar ,mas eis que logo depois para tudo:havia caído uma barreira que ninguem passava.Todos comecaram voltar pois um espertinho sabia um caminho por uma estrada de terra e foi todo mundo atrás.Os otários aqui tambem,lógico.Chovia e a estradinha parecia um sabao,nossa motos pesadas e com pneus de asfalto.Depois de 1 hora de Rally tudo parou de novo.O pessoal do asfalto em sentido contrario encontrou conosco indo,uma estradinha estreita e aí foi o caos.Um caminhao atolou e ninguem passava.Ficamos ali parados umas 3 horas.Aí falei pro Marcio,ou vamos procurar uma casa aqui pra dormir ou vamos tentar empurrar essas motos morro acima,pois vai anoitecer,os caras vao dormir dentro dos carros e nós vamos congelar aqui.Decidimos ir.Nao dava pra subir na moto,era inclinado e escorregadio,entao liguei a minha e fui do lado,em primeira marcha,empurrando morro acima e o Marcio do lado caso a moto tombasse.Subi uns 500metros e voltamos pra pegar a moto dele.Fizemos a mesma coisa com a dele.Aí lembrei da Sibéria e pensei:aqui vai ser pensar no proximo metro e nao na proxima cidade.Mas logo comecou a vir transito em sentido contrario e tivemos que parar e esperar.Subi numa camionete da frente,tirei a calça,coloquei o forro impermeavel e uma calça termica , meia seca e luvas de frio.Ja melhorou bem.Mais 1 hora de espera e comecou andar.Fomos escorregando mais uns 5 kms e chegamos no asfalto.Pensam que acabou?Andamos uns 10kms e entramos numa cidade que estava com a avenida em obras.Uns 10kms de transito parado.Demos uma de brasileiro:toquei pelo acostamento e furamos tudo.Mais uns 60kms de estrada escura,mais chuva,transito,lama no asfalto mais desabamento,mas finalmente vimos as luzes de Guatemala City e chegamos,graças a Deus.Fomos pelo insitinto e deu certo.Demos de cara com o Barceló,um Hotels Resort 5 Estrelas que era tudo que merecíamos e ainda mais com uma diaria de US$95,00,uma pechincha pelo que é.Banho,jantar e cama.Amanha tem mais.

sábado, 7 de agosto de 2010

Mexico Ainda

Saimos de Veracruz por volta de 9 horas e nosso plano de atravessar a fronteira ainda hoje falhou.Alem de passar por varias cidades pequenas e com muitos quebra molas,as estradas tem um absurdo de pedagios e absurdamente caros,o que acabou atrasando muito,rodamos uns 700kms e resolvemos parar em Comitan,provincia de Chiapas,a 70kms da fronteira com a Guatemala.Daria pra chegar mas preferimos nao arriscar pois a burocracia poderia demorar e teriamos que pegar a estrada por lá de noite,o que nao seria boa idéia.Hoje fomos parados 2 vezes na estrada por soldados do exercito,revistaram tudo nas motos,malas,roupas ,etc...Havia uns 10 em volta,todos de metralhadora,olharam e nos mandaram seguir.Aliás hoje vimos muita policia federal e soldados do exercito nas estradas,muitas barricadas,ninhos de metralhadora,parece que estao em guerra mesmo.Disseram que norte do país a coisa tá bem feia.Na 2a. vez só nos pararam,algumas perguntas e mandaram seguir.Mais pra frente ficamos parados um tempao num trecho em obras,esperando o transito contrario,deve ter já algum tempo pois havia ambulantes vendendo artesania local e comprei uma bandana de cabeça pra ajudar o Carlos,garotinho da foto.

Bem,amanha realmente comeca a Maratona America Central,atravessaremos apenas Guatemala,El Salvador,Honduras,Nicaragua,Costa Rica e Panama.
Até lá.

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

MEXICO

Depois desse merecido descanso e mordomia em Los Cabos,saímos pra pegar o BajaFerries em La Paz.Chegamos por volta de 17hs e tinhamos que nos apresentar as 18.Fomos comer no MacDonald's,pois até entao era só o café da manha no estomago.A informacao como nos passaram era que o porto de embarque era ali na cidade mas comecamos a perguntar e acabamos uns 30kms depois no tal do Pichilingue,local do porto.Uma correria só,papelada apresentada e embarcamos.O navio era um meio termo entre o da Suécia,coisa de primeiríssimo mundo e o da Coreia,bem ultrapassado e velhinho.A cabine era confortavel,uma cama grande(o Marcio me cedeu gentilmente)e uma cama pequena,TV,DVD,ar condicionado,banheiro completo,enfim bem confortavel e de bom aspecto.Havia 2 restaurantes,um para o pessoal sem cabine,que dormia em poltronas reclinaveis em varias salas,como num aviao e um para o pessoal das cabines,bem arrumado e a comida a la carte ,bem razoavel.Café da manha idem,mas quero registrar uma observacao aqui sobre isso.Todos os povos de todos os países que passamos almoçam literalmente de manha, de acordo com sua cultura,seu paladar e seus costumes.O coreano por exemplo come de manha a sua sopa de peixe,mete arroz dentro,come umas algas,uma especie de lula,etc..O russo come batata,bolo de carne,sopa,legumes,salada,etc...O mexicano come arroz,feijao,batata,legumes,tortilla,carne etc...,todos num buffet enorme e o brasileiro é o unico povo que de manha a base é café com leite ,páo e manteiga.Tem algo de errado né...
Mas enfim,saimos as 21.30 de terça e chegamos em Mazatlan por volta de 9.30 de 4a.Até sair com as motos já era 11hs.Pensamos em rodar até Guadalajara,que dava uns 400kms mas acabamos indo até Morelia,uns 300kms adiante,700 no total e chegamos debaixo de um temporal brabo.A temperatura caiu rapido de uns 43 para uns 17 graus e com a chuva deu pra passar um friozinho,mas chegamos por volta de 20hs.Foi comer alguma coisa e dormir.
Hoje,5a.feira,saimos de Morelia meio na duvida que caminho seguir.O Dan em San Diego havia dito pra nao irmos pela Cidade do Mexico por causa do transito, íamos ser assaltados,etc.. e nos traçou uma rota indo mais pelo sul.Perguntamos para um motorista de um onibus de excursao do hotel e ele nos mandou por uma rota ao norte,para evitar a capital.Botei no GPS e ele indicava passar pela Cidade do Mexico mesmo,a estrada era autopista e 200kms mais curta.Resolvemos pagar pra ver e mais uma vez nao aconteceu nada,nem transito de matar e nao vimos nenhum bandido,tudo normal.Acho que se fossemos escutar tudo que nos falaram no caminho,teríamos botado as motos no primeiro aviao e voltado pra casa.Rodamos uns 800kms e paramos em VeraCruz,já no Golfo do Mexico.O que se ve nas estradas sim é muito comboio de caminhoes e caminhonetes do exercito com metralhadoras .50,cheio de soldados e muitas barricadas de sacos de areia e Policia Federal parando principalmente caminhoes.Sinal que a coisa nao tá muito calma por aqui mesmo.Amanha devemos cruzar a fronteira com a Guatemala,uns 500kms daqui e dormir numa cidade 300kms pro interior.Vamos torcer pra ter Internet por aquelas bandas.Até lá.

terça-feira, 3 de agosto de 2010

LOS CABOS/BAJA CALIFORNIA SUR

Como previsto saímos de Loreto e após 300kms num calor escaldante chegamos a La Paz,fomos direto comprar os tickets do BajaFerry para Mazatlan e rumamos para Los Cabos e mais 200kms de calor.Já chegando perto a temperatura muda e cai uns 10 graus em funcao dos ventos do Pacifico .Depois de rodar um pouco pela cidade fomos meio pelo instinto,sem conhecer nada e demos de cara com esse RESORT PUEBLO BONITO.Era o que precisavamos,em frente a praia,bela piscina,bar,restaurante,enfim,um 5 estrelas,o que era preciso para recarregar as baterias.Banho e praia direto,agua na temperatura ideal,nem quente,nem gelada,mas fria,cervejinha,nachos....De noite um belo jantar e hoje cedo peguei uma lanchinha que leva turistas para conhecer EL ARCO,formacoes rochosas escavadas pelo mar e que formam um arco.Nao sei se vai dar pra ver nas fotos direito,mas no meio das rochas tem uma fenda que chamam de La Ventana del Pacifico(janela do Pacifico)pois do lado de cá é o Mar de Cortez e do outro lado da fenda é o Pacifico.Muito bonito tudo, muitos pelicanos,focas nas pedras,um belo mergulho na volta e agora arrumar a tralha e voltar pra La Paz pra pegar o ferry e cruzar o Golfo para o continente mexicano,umas 15 horas de barco.Abraços a todos e até a proxima.

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

BAJA CALIFORNIA II

Quando entramos no restaurante as paredes estavam cheias de fotos dos Rallies,com assinatura de varios pilotos,nomes importantes do esporte,comida mexicana caseira da melhor qualidade dirigido pela filha da Mama Espinosa,senhora hoje com 102 anos,que comecou tudo,com o restaurante,a pousada e uma bomba de gasolina daquela manual pra atender o pessoal do Rally,pois El Rosario é o primeiro check point até hoje das Mil Milhas.O lugar é uma lenda nessa Peninsula,simples mas familiar e acolhedor .
Hoje,domingo,01/08 tomamos café é saimos por volta de 9hs.Arriscaria dizer que a estrada hoje foi a mais peculiar e original até agora.A Peninsula é montanhosa e um vale se estende por toda ela,onde vai a maior parte da estrada.É um deserto árido,temperatura chegou a 45 graus,sol abrasador e um vento quente,que com bota,capacete,casaco e luvas dava sensacao de uns 50 graus.Mas a paisagem vai mudando,cactus,pedras,rochas,montanhas ao fundo de repente entramos no Vale dos Círios,onde tudo parece um jardim montado.Voce olha e parece que foi tudo arrumado pela Natureza,as rochas ,os cactus,as arvores coloridas,parece um Pateo Mexicano.E ainda a sensacao de saber que voce está a poucos quilometros do mar,pelos 2 lados da Peninsula,é muito estranho,mas eis que sobe montanha,desce montanha,(curvas em S de baixa e de alta pra arrendondar um poucos os pneus,muitas das placas que mais gosto de ver:ATENCION,CURVA PELIGROSA ) e pronto,dá de cara com o mar e aí é o diferente de tudo que já vi,de um lado o deserto e do outro o mar.Rodamos mais de 800kms e paramos em Loreto,na beira da praia e deu tempo ainda pra um mergulho no mar pra refrescar,jantar e amanha vamos a La Paz,a 300kms daqui comprar as passagens do BAJA FERRY e depois damos uma esticada(mais 200kms) até LOS CABOS,ultimo ponto da Peninsula,local de milionarios americanos e mexicanos.Dizem que é um must.Deem uma olhada no Google,com certeza deve ter algo.Vou tentar botar as fotos.Abracao a todos.

MEXICO/BAJA CALIFORNIA

Sabado,dia 31/7 fomos a BMW e o mecanico ja tinha testado a moto do Marcio e pra nosso alivio tudo perfeito,tudo funcionando,aliás pela primeira vez depois da França,onde a coisa comecou complicar.Zarpamos pra fronteira em Tijuana,meia hora de San Diego.20kms antes ja comecou a fila,fomos furando pelo meio dos carros e chegamos rapidinho.Vai pra lá vem pra cá,achamos o guiche para fazer os papeis nossos e das motos,que pra nossa sorte agora é no mesmo lugar.Xerox pra cá xerox prá lá,em 1hora resolvemos tudo,mas aí lembramos que nao tinhamos entregado nossos cartoes de entrada nos EUA,e as guias de importacao temporaria por 1 ano das motos,devemos ter passado reto pela Customs americana quando passamos pelo meio dos carros.O caso é que pra todos efeitos fugimos dos EUA,procuramos ali pela fronteira mas nao tinha nada dos EUA.Vamos ter que resolver isso no Consulado americano no RJ.
Como demoramos pra sair,alfandega,etc...chegamos no MAMA ESPINOSA,pousada e restaurante recomendado pelo DAN,por volta de 19hs.Marcio foi perguntar,nao tinha quarto.Estavamos saindo quando vi uns garotos jogando as mochilas pra baixo e pensei,estao se mandando.Fui falar com o senhor que parecia ser o dono e ele confirmou e mandou a menina limpar o quarto pra nos.Alivio,pois 5 minutos depois chegou um espanhol de Malaga sozinho com uma moto identica a minha.Batemos um papo e ele se mandou.Descemos pra jantar e o lugar é um barato.A Baja California é um lugar que tem tradicao de surf do lado do Pacifico e alem disso muita tradicao em Rally do Deserto,tipo Paris/Dakar,que é as 1.000milhas Tjuana/La Paz,que corre por trilhas no deserto do vale que corta a peninsula toda,carros,buggys,motos,continua...

sábado, 31 de julho de 2010

LOS ANGELES/CALIFORNIA

Desculpem a ausencia mas a coisa andou meio enrolada aqui esses dias.Acho que eu ja tinha comentado sobre os horarios mas saímos de Seoul dia 28/7 as 20hs pelo voo 011 da Korean Air e chegamos em Los Angeles no mesmo dia 28/7 as 15.30hs.Milagres da International Line Date,uma linha imaginaria a 180 graus de longitude no Pacifico , altura de Tonga e Samoa e quem está a esquerda dela está um dia a frente e consequentemente a direita 24 horas atrás.

Voo otimo da Korean,chegamos pontualmente as 15.31.Fizemos a alfandega pessoal e corremos para o Setor de Cargas para liberar as motos.Tivemos que ir ao Customs pra pegar um carimbo,tramites resolvidos voltamos a Korean que nos deu o presente de grego,2 caixas enormes com uns 300 pregos cada uma pra tirar e nós sem nenhum martelo.Mas foi como eu disse pro Marcio,calma que as coisas daqui a pouco comecam a acontecer.Pedi uma ajuda e apareceu um com um martelo outro com um pé de cabra e saímos quebrando tudo.Depois foi montar as rodas dianteiras,colocar os espelhos e colocar o parabrisa no lugar.Claro que tinha que acontecer algo.Coloquei a roda na minha moto,as pinças de freio rapidinho,coloquei a da moto do Marcio,a pinça esquerda e a da direita nao queria entrar de jeito nenhum,abria com a chave de fenda mas ela voltava.O jeito foi dar uma sangria pra afastar as pastilhas e levou um tempao.Saimos do aeroporto umas 21hs e fomos por ali procurar um hotel.Nada,tudo lotado e resolvemos sair daquela área e depois de perambular um pouco por LA achamos um no caminho que tinha umas 20 motos,canadenses passeando na California.Acabou esse dia.Dia seguinte(29/7) fomos a BMW do Boulevard Santa Monica.Marcio queria (e precisava de roupas novas porque com a dele ia morrer congelado na Cordilheira dos Andes).Nao tinha,mas aproveitamos eu pra fazer as revisao dos 20.000kms(saí do Rio com 3.000,portanto até aqui rodamos 17.000kms),trocar pneus e Marcio tambem na dele.Foi praticamente o dia todo mas no fim da tarde resolvemos vir pra San Diego e ficamos num hotel perto de uma outra revenda BMW.Hoje,30/7 fomos a BMW,Marcio comprou equipamento novo todo BMW(agora sim) e eu comprei pra mim e sugeri que ele comprasse tambem um electrical vest,um casaco que tem uma fiacao interna, se conecta por fios a bateria da moto e através de um relé regulavel aquece o corpo de maneira incrivel.Testei o meu depois e em 5 minutos estava suando,so'assim pra enfrentar o frio de -15 -20 que dizem estar fazendo na Cordilheira,no Peru e Chile.Só na coragem nao dá.Mas nisso a moto do Marcio pronta ,vai ligar a bateria pifa de novo. Sugeri que aquilo nao era normal e resolvemos averiguar a causa.Resumindo o tal do ABS System,que nao conseguimos em nenhum lugar da Europa e Russia é que era o vilao mesmo.O pessoal da San Diego,por sugestao nossa topou tira de uma moto OK e colocar na dele.Tudo pronto,nao resolveu!procura daqui ,procura dali achamos novo vilao,o relé do ABS da roda trazeira,trocou e aparentemente resolveu,isso ja eram 19,30 e o mecanico preferiu deixar pra liberar amanha(sim,aqui eles trabalham sabado sim).Mais um dia aparentemente perdido,mas achei otimo ter acontecido aqui e nao a 5.000 metros quando tivessemos cruzando os Andes...Outra coisa boa é que o Dan(70 anos,inteiraço),amigo do pessoal da BMW veio gentilmente nos encontrar e deu todas as dicas do Mexico ,onde ja foi umas 20 vezes pois a mulher é da Guatemala,ela vai de aviao ver a familia e ele vai de moto.Sabe cada curva,cada pousada e nos sugeriu ir pela Baja California,Península ao longo do Golfo da California,até La Paz,onde pegamos um ferry pra Mazatlan e de lá seguimos pra Cidade do Mexico.Diz ele que alem de muito mais lindo e agradavel do que ir pelo centro,pelo deserto, é muito mais seguro,pois evitamos a zona do narcotráfico.Assim faremos.

Saímos pra jantar,Marcio ja apagou e sao 23.30 e tambem vou dormir pois amanha tudo certo com a moto partimos pra Tijuana,fronteira a 1/2 hora daqui para mais uma maratona,agora com a fila e burocracia mexicana.
Um abraçao a todos que nos acompanham

segunda-feira, 26 de julho de 2010

SEOUL/KOREA

Saímos de Vladivostok cedinho pois tinhamos que estar no Porto de Zarubino do outro lado da Baía por volta de meio -dia para pegar o Dong Chung Ferry para o Porto de Sok Cho na Korea.O caminho era bem enrolado,ainda bem que pegamos referencias dos lugares que devíamos passar,varias estradinhas e placas das cidades SÓ EM RUSSO,portanto nem pensem em dirigir ou pilotar na Russia sem conseguir ler em russo pois nem para direcoes importante como esse porto nao tem placas romanizadas.Aliás as aulas do Prof.Arnaldo foram imprescindíveis e valeram muito durante a viagem toda,seria quase impossivel sem o basico que aprendi.
A viagem foi pelo Mar do Japao,passando ao largo da China e depois Coreia do Norte,por sorte nao vi nem um torpedo nortecorenao passando .O navio ja meio velhinho,fomos de 1.a classe,uma cabine para 4,mas dividimos somente com um russo,que por acaso estava cheirosinho.Foram 20 horas de viagem,de 16.30 do dia 24 até 12.30 do dia 25.Eu estava numa mesa e chegou um senhor que perguntou algo,nao entendi e um garoto coreano me disse em ingles que o senhor estava perguntando de onde eu era.Quando disse que era brasileiro ele gritou para os outros, bateram palmas tiraram fotos comigo e me deram uma bebida feita de arroz pra brindar com eles.É alcoolica mas bebem isso como agua.Maior festa.Depois foram mais 4 horas para liberar as motos e colocar no caminhao onde seguiriram até Seoul.Fomos de onibus de Sok Cho a Seoul,220km que demoraram 4 horas por causa do transito de fim de semana.De cara as estradas coreanas impressionam,excelente asfalto,toda cercada,coisa de primeiro mundo e a chegada a Seoul já de noite dá a impressao de estar entrando na Cidade do Futuro,coisa de ficcçao.Existe um grande rio que corta a cidade que mais parece a Lagoa Rodrigo de Freitas,pontes como a Agua Espraiada de SP e viadutos aos montes,parecendo entao que os carros estao voando de um e outro lado da "Lagoa".Predios altissimos,modernissimos e tudo gigantesco,enorme.Hoje de manha fomos ao aeroporto de metro e outra surpresa com a qualidade,limpeza,extensao da malha e modernidade dos trens.Tudo perfeito.Tivemos que tirar a roda dianteira,os espelhos e baixar o parabrisa para dimuir o volume e botaram dentro de uma caixa de madeira.Imagino a trabalheira em Los Angeles pra desmontar isso tudo e montar as motos.Nosso hotel é bem central,tipo ruas de pedestre dos lados e um comercio fervilhante,melhores grifes e apinhadas de gente comprando tudo.A comida é o ponto fraco,o basico é uma sopa com algas ,legumes,pedacos de carne,um caldo horroros e eles enfiam arroz dentro e mais umas coisas que nao dá pra saber o que é.Muita carne de porco e pimenta,muita pimenta.Hoje fomos num restaurante que fazem um tipo Paella com frango e coisas tambem que nao se sabe o que é e saímos direto para uma sorveteria pra gelar a boca,que saiu queimando... As motos devem seguir amanha e 4a.f. vamos nós.Amanha vai ser dar uma de turista por aqui.Aliás pelo que vi a maior propaganda de turismo é ir visitar a DMZ,(Demilitarized Zone)entre as 2 Coreias,cujo ponto alto é o The 3rd Tunnel,descoberto em 1978,onde 10.000 soldados podem atravessar em 1 hora.Quando foi descoberto os nortecoreanos quiseram convencer que foram os do sul que fizeram para invadi-los mas o contrario foi provado.Vou ver se dá pra ir ver MISO,um tradicional musical coreano .Depois eu conto.Mais uma vez,obrigado pela força.Abracao a todos.

sexta-feira, 23 de julho de 2010

VLADIVOSTOK II

Em resumo,minha preocupacao era acontecer algo nessa rota,uma moto quebrar ou algum de nós cair e se machucar e comecei a pensar em como enfrentar essas situacoes.Pedi pra Marina comprar em Madrid um Iridium,celular via satelite,pois eu me imaginava numa situacao dessa no meio da Siberia sem ter como pedir socorro,sem comunicacao.A outra medida foi comprar o SPOT,um aparelho que tem um GPS e que vai seguindo sua rota e emitindo as coordenadas de onde vamos passando e contratatei tambem um servico alternativo de uma empresa que atraves desse Spot podiamos enviar um HELP de emergencia e eles mandavam nos buscar atraves dessa coordenada onde estivessemos,de helicoptero,de aviao ,o que fosse.A outra medida foi mapear toda essa rota kilometro por kilometro,detectando todas as pequenas aldeias de 200 a 2.000 habitantes,mesmo as que eventualmente teriamos que sair de 1 a 2 kms da estrada principal.A ideia era que se acontecesse algo saberiamos que pelo menos algum tipo de ajuda teriamos numa vila dessas.O problema foi que quando estive em Moscow no Bike Center dos Night Wolves jantando com o Zhenia meu amigo russo,ele chamou o Ivan,campeao russo de Jeep off-road,que conhecia bem aquelas bandas e o Ivan foi categórico:Voces nao podem parar em nenhuma dessas aldeias,aí só tem criminosos e pessoas bebadas que sao violentas,voces tem que ir direto a Skovorodinó,que já é um lugar melhorzinho e tem um hotel com alguma segurança.Aí todo meu planejamento foi por agua abaixo.O que adianta ter todo esse mapeamento se nao podemos parar por ali.E se acontecer algo,vamos ficar na mao desses bandidos?Alem disso em todas as cidades que passavamos e diziamos que eramos brasileiros e iamos pra Vladivostok os russos faziam uma cara de espanto,e diziam que nao tinha estrada,que era horrivel e falavam pra botarmos as motos no trem em Chita e pegar em Khabarovsk.Aí me ocorreu que a unica forma de ter uma certa seguranca era arrumar uma camionete 4X4 de apoio,que nos seguisse e que poderiamos recorrer caso tivessemos uma ocorrencia.Mas nao foi possivel arrumar isso e resolvemos meter a cara,achando que íamos ter esses 1.800kms de pauleira e riscos pela frente,mas enfim estavamos ali,estavamos preparados e era ir ou ir,tudo ou nada.E pra nossa surpresa,ja contei no inicio como a coisa se desenvolveu para nosso alívio e alegria total,porisso eu disse que o inferno se transformou em paraíso. É incrivel a total falta de informacao que os russos tem das estradas na Siberia,mas dá pra entender pois estao trabalhando num ritmo alucinante,calculo que até o final do ano nao vai mais ter estrada de terra por aqui.
Diante disso tudo vim pensando por essas estradas afora que no fundo todos nós temos a nossa Sibéria dentro de cada um,ou seja,aquele problema que temos que enfrentar no momento e ficamos remoendo,sofrendo os temores,as incertezas , os fantasmas e as fantasias que criamos ao redor desse fatos.Depois de um certo momento cheguei a conclusao que tinha que parar de pensar nisso,onde eu estava,aonde tinha que ir,o quanto tinha que andar pra voltar pra casa,e imaginava,mais 6.000kms na Siberia com tudo isso,depois Coreia,EUA,Mexico,Guatemala,Honduras,Panama,Colombia,Equador,Peu,Chile,Argentina e Brasil pois senti que ia pirar se deixasse esses pensamentos invadirem minha cabeça e comecei a pensar entao naquele dia,que tinha que ir de A a B e pronto.E se aquele dia estava dificil,cansativo eu nao pensava que ainda faltavam 600kms e sim que ja tinha andado 200,depois comecei a pensar no proximo kilometro e assim por diante .Essa filosofia foi fundamental para manter a moral elevada e o equilibrio necessario para pilotar e tomar as decisoes certas quando necessario.E isso pretendo levar para minha vida sempre,viver cada dia,cada momento e nao ficar alimentando os fantasmas,os medos e sofrendo antes das coisas acontecerem,pois a ansiedade gerada pelo futuro,pelo desconhecido é que nos traz desconforto e desequilibrio na vida,trazendo portanto sofrimento.Precisamos sim,planejar,preparar e termos as ferramentas necessarias para enfrentar os momentos dificeis,mas ao mesmo tempo nao deixarmos catalizar essa ansiedade gerada por essa Siberia que todos nós temos que enfrentar na nossa vida.Abracos e nosso muito obrigado a todo que nos acompanharam e deram essa forca enorme nessa etapa.Sabado vamos de ferry para Coreia do Sul e 4a.f. dia 28/7 estaremos em Los Angeles nos preparando para a America Central e do Sul.Até a proxima.

quinta-feira, 22 de julho de 2010

VLADIVOSTOK(by Levy)

Bem,de Khabarovsk a Vladivostok foram mais 760kms do mesmo,chuva,asfalto X terra,mas finalmente,chegamos!!!!!Paramos no Monumento dos Marinheiros,que é o principal da cidade e indica o ultimo ponto na Asia.Dali dá pra avistar toda a Baia de Vladivostok,que fica no Mar do Japao.Dá pra ver tambem a CHINA de longe...pois é,estamos vendo a China sentados na nossa moto.Foi ideia do Vasily,que fotografou nossa saída do RJ e veio registrar a nossa chegada em Vladi,o cara é genial!Voces ja devem ter visto as fotos que a Renata postou...Rubens,meu irmao,valeu a apresentacao do seu amigo.Mas agora eu queria contar um pouco como tudo comecou...Quando decidimos mesmo fazer essa volta ao mundo,comecei a pesquisar na Internet,passei por Matelandia para falar com o Joao Batista,troquei emails com o Acyr em Curitiba,2 colegas que haviam feito o mesmo ano passado e estabeleci contatos com um diretor do Night Wolves,maior moto clube da Russia e agora soube que é o maior da Europa.Ficou claro que o calcanhar de Aquiles de toda viagem ia ser a tal da AMUR HIWAY,rota na Siberia que comeca em CHITA e vai até Khabarovsk e comecei a planejar em cima disso.Eu só pensava nisso pois as informacoes eram que a estrada era horrivel,de terra,chovia muito no verao e nao havia nada no meio dos 2.100kms que as separavam,soube ainda que era terra de ninguem,havia muitos criminosos,herança de prisioneiros que Stalin havia mandado pra lá para abrir estradas e povoar e ocupar a regiao e a cultura da bandidagem permaneceu,nao havia policia nem lei,e todo mundo bebia muito.Soube de amigos que armaram a barraca ao lado de um bar numa dessa aldeias e foram acordados de madrugada com uns russos bebados dando tiros na direcao deles,gritando Brasilia,Brasilia(Brasil em russo).Esperaram acalmar e se mandaram.Continua...

KHABAROVSK

Na noite anterior Marcio botou o despertador errado e acordamos as 5.30 ao inves de 6.30.Fomos buscar as motos,botamos a tralha e saimos,cafe da manha ali nem pensar,de novo barriga vazia,pé na estrada,de noite choveu e aquela estradinha virou um sabao só.Demoramos 1 hora pra fazer os 25 kms até o asfalto.Uma meia hora ja no asfalto paramos num café cheio de caminhoes,que dizem serem os melhores.Paramos e vi uns caminhoneiros comendo uns ovos fritos com um salsichao idem.Nao quis nem saber,chamei o cara no balcao,meti o dedão e apontei,"quero isso"!O caminhoneiro olhou pra mim,rosnou alguma coisa com aquela cara de poucos amigos mas ficou nisso.Logo depois chegaram os 2 ovos fritos ,pao e cofie s malakon gariache(cafe com leite quente),já sei pedir.Parecia um brunch em NY,3 dias sem cafe da manha e sem almoco,aquilo parecia um banquete.Barriga cheia,pé na estrada.Nesse dia fizemos 1.200kms direto até Khabarovsk,debaixo de muita chuva.De novo,surpresa agradavel total,paisagem linda,selvagem,movimento zero,nao se via ninguem por centenas de kilometros.E de novo alternando asfalto com terra,mas sempre naquela proporcao.Apesar de muita chuva fizemos 1.200kms em 14 horas.Em resumo,o que ia ser um inferno acabou sendo o paraíso diante do que esperávamos...depois volto nisso.

SKAVARODINÓ

Pelas ultimas informacoes deveriamos pegar uns 300kms de asfalto e daí em diante só "gravel',estradas de terra com pedras.Fiquei aguardando e quando o odometro parcial mostrou 300kms achei que a festa ia comecar,mas nada,continuamos num bom e novo asfalto.Perto dos 400kms finalmente chegou e chegou a chuva forte junto,desgraça pouca é bobagem.Metemos a cara no barro,onde agradeco o amigo de Matelandia Joao Batista que nos deu a dica dos pneus e foi o que ajudou muito naquele e outros varios momentos.Mas pra nossa surpresa uns 20kms adiante o asfalto voltou!Voltou e ficou!Andamos mais uns 100kms e terra de novo.Mas novamente pensamos agora acabou a moleza de vez.Mas que nada,mais uns 10kms de barro e asfalto de novo!Pra resumir foi assim até Skavarodinó,acho que dos 930 kms,só pegamos uns 150 kms de terra.Parece que estao asfaltando tudo a toque de caixa,trabalho intenso.Nao havia sinal nenhum da cidade,percebi por uma placa há uns 22 kms atras que devia ser aquela entrada,parei e perguntei e era ali mesmo.Depois de uns 5 kms estradinha adentro chegamos numa aldeia e depois de perguntar falaram que Skavarodinó era 15kms adiante e seguimos por uma estrada horrivel,cheia de lama e pedras e fomos escorregando até lá.Perguntei onde era o Gostinitsia(hotel) e apontaram para um predio horrivel,chegando la foi pior ainda,pois ninguem falava nada de ingles mas entendi que nao tinha quarto.Gelei!A gerente ficou nervosa porque insisti e tive que sacar meu celular russo e ligar pra Olesia,nossa agencia em Moscow pra amansar a fera.Depois de muita confabulacao ela pediu nosso passaporte e nos deu um quarto.Passando pelo corredor mostrou onde era o chuveiro,um buraco com os canos todos à mostra e depois no andar de cima nosso quarto e um banheiro com vaso no corredor,ou seja,tinha que descer pra tomar banho e subir pra fazer xixi.Mas tinhamos que tomar um banho e encaramos o buraco.Mas quando chegamos um cara que estava no hotel disse que nao podiamos deixar a moto na rua,que tinhamos que levar na Policia,unico lugar seguro na aldeia e la fomos depois do banho.O policial mandou um auxiliar jovem falar conosco num ingles macarronico e disse que era 600 rublos,choramos e ficou por 500.O chefe entao nos levou rua acima,abriu uma porta e enfiamos a moto e disse que tinhamos que tirar as 7.30 dia seguinte.Fomos procurar algo pra comer e como encontramos um Magazin(tipo mercearia) compramos uns iogurtes,pao preto,um queijo,coca cola e umas maçàs e foi nossa unica comida do dia.Lambemos os beiços e fomos dormir.

CHITA

Ulan Ude a Chita foram 660kms e fizemos em 7 horas com chuva para nosso espanto pois ja imaginavamos pegar estradas ruins mas para nossa agradavel surpresa era uma estrada linda,pelas montanhas sinuosas e em muitas vezes acompanhando o Lago.Muito pouco movimento já nas estradas.Chegamos em Chita e fomos direto trocar os pneus pois dali pra frente teoricamente pelas informacoes ia ser só pedreira,estradas pessimas,alguns até diziam que nao tinha estrada.Trocamos e fomos para o hotel,banho e fomos a um café jantar.Pedimos Gaviadna e fri kartófiel e salada e veio um bom bife com um molho de tomate e pimentao bem razoavel e batatas fritas idem.Tambem sem almoco e sem cafe da manha estava uma delicia.
Fomos dormir pensando no dia seguinte.Tinhamos que andar 930kms em estradas de terra,com chuva e sem poder parar e dormir em lugar nenhum,tinhamos que chegar em Eskavarodinó de qualquer jeito,depois conto porque.

ULAN UDE

Do Lago Baikal fomos a Ulan Ude,capital da Republica da Buryatia,pertencente a Russia ,mas com cultura independente.Populacao 40% de mongóis e é a cultura que impera ali,a cara das pessoas,a comida,a lingua,etc...ali voce nao está na Russia,parece que está na Mongolia.A religiao predominante é o Budismo Tibetano e tem portanto varios e grandes templos budistas.Como só iamos ficar a noite resolvemos ir a um restaurante tipico.Tirei fotos só com o celular,vou tentar botar mas nao sei como vai sair.É bem tipico e dá uma ideia do que é o lugar.No restaurante foi comico.Menu em Buryata e russo.Tinha umas fotos de comidas esqusisitas.Marcio,o Triturador apontou uma e pediu.Eu entrei em panico e liguei pro Vasily,amigo russo pra falar com a garconete o que eu queria.Depois de 15 minutos ela desligou e foi buscar o meu prato.Vieram 6 bolas do tamanho de bola de sinuca,branca,era algo parecido com uma folha de repolho,mas
muito liso e quando cortei saiu uma aguinha e dentro tinha carne de vaca e de porco moido e misturado.Como tinha passado o dia sem almoco o jeito foi comer,mas nao estava ruim nao,o tempero ate'que era bom. A volta pro hotel foi com um taxista mongol fã do Senna,imaginem...

terça-feira, 20 de julho de 2010

Vladivostok






Conseguiram! Depois de 14,936 km, sendo que 3.000 km nos ultimos 3 dias...eles chegaram!
Proximos passos: Ir para Coreia de barco, e de la pegar um avião até Los Angeles...
Assim que der volto a dar noticias.
Bjs Renata filha preferida!

quinta-feira, 15 de julho de 2010

LAGO BAIKAL

De Irkutsk aqui é um pulinho(65kms),estrada ótima,a impressao é estar passando por um grande parque,chegamos por volta de meio-dia e achamos o hotel,bem simpatico com vista para o lago e fomos dar um rolé até o EastLand,um local proximo onde se tem uma vista panoramica.Depois voltamos e almocamos no hotel,comida otima,blini de salmao e caviar e o peixe SIG que só existe aqui nesse lago.O Lago tem a forma de uma banana,mede 636kms de comprimento de norte a sul e profundidade de 1.637ms,o que o faz o mais profundo do mundo.Contem 1/5 da agua nao congelada do mundo ,mais do que os 5 Grandes Lagos da America do Norte juntos e em geral sua agua é considerada potavel.Aqui estamos chegando na fronteira com a Mongolia e ja dá pra notar pela cara das pessoas,já é bem mais misturado,como mostra algumas fotos,da menina por exemplo fazendo um chá naquele aparelho.Eu apontei a maquina para um outro senhor completamente mongol mas ele virou a cara,entao deletei.Hoje 16/7,estamos indo para Ulan Ude,essa cidade sim é a mais proxima da Mongolia.

IRKUTSK

A viagem de Tulun pra ca foi tranquila apesar da chuva,um pouco menos de 400kms,mas estrada boa e pouco movimento.Depois de Krasnoyarsk vamos sentindo realmente o que é a Siberia,a paisagem vai se alterando,as vezes penetramos numa floresta densa e aí eu sinto que essa Siberia vai comecar me engolir,mas de repente no proximo topo se descortina de novo aquela imensidao de verde,florestas e claroes que se perdem no horizonte.Fico me perguntando se la na frente ainda vamos penetrar nas suas entranhas pois é assim que imagino,lugares mais selvagens e aí tudo se torna mais assustador mas ao mesmo tempo estimulante e desafiador.
Os obstaculos sao enormes,tanto fisicos,(pois é uma maratona ,todo dia andar 10/12 hs em cima de uma moto) como emocionais,procurando caminhos numa lingua estranha e dificil e ficar imaginando onde voce está,o que tem que fazer e o caminho pra voltar pra casa .É preciso muito equilibrio e determinacao pra nao nao desanimar,mas isso é algo que quero comentar mais pra frente,em Vladivostokquando terminar essa fase russa.É uma licao de vida,mas vivida na pratica,sem teorias...

MAIS FOTOS

quarta-feira, 14 de julho de 2010

TULUN

Saimos de Krasnoyarsk por volta de 9.30hs e pelas informacoes do pessoal tinhamos que rodar uns 400kms.Foi um dia horrivel,chuva direto e de repente comecamos a pegar estrada de terra,uma lama só.Como desgraça pouca é bobagem nos deparamos com uma obra,maquinas removendo terras numa estrada larga,depois de uma subida demos de cara com um caminhao atolado num mar de lama,a esquerda dele vinha um carro,só me restou a direita,o que foi péssima opcao.A "UNSTOPPABLE",que foi como batizei minha GS Adventure,comecou a patinar,pular como se fosse um touro bravo ,jogava lama pra todo lado e quando vi que a frente afundou e ela ia tombar,saí fora e ela foi pro chao naquele lamaçal.Mas ela rapidamente levantou e olhou brava pra mim,porque a soltei,mas logo falou,"vamos embora,nao foi nada,nao tenho nem um arranhao".Obedeci,subi e saímos de novo jogando lama pra todo lado e seguimos.Eu ja tinha feito sinal pro Marcio ir pelo outro lado,onde todos estavam passando.Voces devem estar pensando que enlouqueci,mas nao,numa viagem dessa voce acaba se inegrando tanto a sua moto que ela passa a ser parte sua,um dependendo do outro...é assim que é...

KRASNOYARSK(CONTINUA)

Eu tinha que fazer uma continuacao de Krasnoyarsk por causa do ANATOLE.Enquanto estavamos na BMW esperando as motos ele apareceu e puxou conversa e contamos de nossa viagem.Ele nos esperou e quando pegamos os pneus ele colocou na sua Bmw X5 e disse que ia levar no nosso hotel.Dissemos que iamos passar um lava-rapido e ele nos fez segui-lo ,levou pra lavar as motos,esperou e nos levou ao hotel e deixou os pneus e disse que as 20hs vinha nos buscar pra jantar!As 8 em ponto descemos e ele ja estava la.Nos levou a um restaurante super bacana num lugar tipo Jardins em SP.Nos indicou uma mesa grande e em menos de 15 minutos estava cheia de amigos russos dele,todos motoqueiros,mas todos de um nivel muito bom.Comemos uma carne excelente,de vaca,de cordeiro e peixe do Norte como eles chamam,vem tipo um carpaccio e a gente passa numa tipo farinha que é super salgada.depois ainda veio um peixe feito na chapa,tambem do norte,um esturjao de cujas ovas é feito o caviar,uma delicia.Por acaso estava o Tolya,o cara correspondente da nossa agencia em Moscow,que comprou os pneus aqui pra gente.tivemos até show na mesa,de um amigo dele magico profissional que fez coisas incriveis.Pra completar nao nos deixaram pagar nada e que pdiamos contar com eles pra qualquer coisa no nosso roteiro.Nunca vi coisa igual,os russos nos surpreendem a cada dia.Conclusao,fizemos varios amigos ali.Um deles conheceu uma paulista na Australia e vai pra SP conhecer a familia dela e vem ao Rio.Claro que vou retribuir a altura.

segunda-feira, 12 de julho de 2010

KRASNOYARSK

Saimos de Omsk por volta de 9hs,no incio o mesmo,caminhoes,estrada ruim,mas depois tudo foi melhorando e parecia que ia render,mas comecou chover e o GPS comecou dar uns loops e se perder e pra piorar a estrada comecou a passar por varias cidades pequenas,mas sem sinalizacao nenhuma ,com varios trevos e o jeito foi ir perguntando(em russo claro).O negocio nao era perguntar "Eta Daróga V Krasnoyarsk?" O problema era que,aí eu sabia que a coisa ia complicar,quando respondiam algo mais do que "PRIAMA",(que quer dizer va em frente),aí eu sabia que a coisa era enrolada e parava logo adiante pra perguntar de novo,até ouvir só Priama,Priama,aí sabia que era só ir em frente...Chegamos por volta de 21hs pois ainda pegamos um rush de chegada de fim de semana uns 20kms antes da cidade.Hotel,banho e cama.
Krasnoyarsk é muito grande,fica a beira do rio Yanisey,um dos maiores da Russia,nasce nos Urais e corre até o Artico,existe inclusive excursoes de navio que partem daqui para o Artico.Economia a base do petroleo e metais,muitas BMWs e carros caros na rua.
A cidade como as outras fervilha de carros e obras,ruas,predios,obra em tudo e transito caótico.
Fomos a BMW e super bem atendidos.Minha moto era valvula mesmo,pelo que eu entendi era um parafuso meio quebrado que nao deu aperto e as valvulas soltas batiam fazendo ruido.Agora a Unstopable tá um relogio de novo. A do Marcio só trocaram oleo,filtro mas a central do ABS nada,mas tudo bem,vamos assim mesmo.Lá na BMW conhecemos o Anatole,um russo muito parecido com o SKAVUSRKA! da Claro,só que bem mais novo,uns 40 anos, que ficou nosso amigao.Ele tem a maior X5 zero,uma Adventure igual a minha e uma S1000RR da BMW tambem novinha.O cara nos levou pro CarWash lavar as motos imundas,esperou la,alem de trazer os pneus offroad que compramos pra trocar em Chita,onde comecamos pegar os 2.000kms de terra.Nos deixou no hotel e disse que as 20hs vem nos buscar pra levar pra jantar.É impressionante a hospitalidade desse povo quando voce consegue se comunicar.De sérios e sisudos ele se tornam brincalhoes e muito prestativos.Por conta disso fizemos varios amigos no caminho e todos dizendo que podemos procura-los caso tenhamos algum problema.É sempre bom saber....

sábado, 10 de julho de 2010

NOVOSIBIRSK

Saímos de Omsk por volta de 10hs, a estrada comecou a mudar para melhor logo depois,menos caminhoes,piso melhor e menos guardas.A paisagem tambem ,os campos de girassóis comecaram a ser uma constante no caminho todo,centenas de kilometros atravessavam dos dois lados aqueles campos amarelos que se revezavam com as florestas das arvores coníferas tipicas da regiao.Talvez por serem plantados em dia ou semanas diferentes os campos mostravam matizes diferentes, de amarelo se misturando no verde e as vezes fazendo até desenhos,como nas nuvens.Eu via aquilo e pensava no filme Os Girassois da Russia,Doutor Jivago,só faltava ouvir o Tema de Lara,mas eis que no Ipod entra nada menos que Bob Dylan,com Like a Rolling Stone,onde ele cantava:"What is the feeling,to be on your own,with no direction on,like a complete unknown, like a rolling stone"...pois era exatamente assim que eu me sentia naquele momento,um ser rolante sobre uma moto na imensidao das estepes siberianas...
Chegamos cedo e como Novosibirsk é uma cidade grande mas nao tem nada,fomos comer no hotel mesmo e dormir cedo.

OMSK

A estrada para Omsk nao mudou muito da media até agora,muito caminhao,buracos,obras ,guardas e travessia de cidades.Chegamos por volta das 20hs e fomos recepcionaods pelo Alexey,motoqueiro russo que nos vendo chegar deu meia volta e veio conosco até o hotel e queria porque queria nos levar pra jantar e mostrar a cidade.Mas depois que subi pra tomar banho,dei por falta de uma bolsinha que guardo dinheiro e cartoes de emergencia.Depois de ter dado como perdido,desci pra avisar o Alexey que nao ia poder ir,pois tinha que cancelar os cartoes no Brasil e ele foi embora arrasado...cara muito legal.Acabou que cancelei e a bolsinha apareceu,eu tinha colocado a toalha em cima.Comemos algo no hotel e fomos dormir,nada demais.Mais uma vez quero registrar a inestimavel colaboracao do noso amigo Vitor Braga,que nos arrumou os mapas do GPS e esse da Russia tá quebrando o maior galho.Só em Tyumen nao pegou direito e imaginem o que é sair perguntando em russo onde fica o hotel tal.É hilario...mas o GPS em geral nos poe na cara do hotel e dia seguinte nos leva pra estrada.Sow de bola,mas acho que em Krasnoyarsk vai acabar a moleza,mas daí pra frente nao deve ter nenhuma cidade grande mais,aí fica mais facil achar.Penso eu.

quinta-feira, 8 de julho de 2010

TYUMEN

A BMW so liberou as motos as 15hs,quebrado o gelo,por causa da dificuldade da lingua,facilitado pela chegada da Genia que serviu de interprete,o Dimitri mecanico e o Pavel auxiliar técnico foram super solicitos e explicaram que o problema da moto do Marcio foi mesmo a bateria,que nao tinha nada a ver com o sistema eletronico do ABS e que ele deve tentar trocar em Krasnoyarsk ,trocaram a lampada do farol baixo e a minha foi revisao dos 10.000,troca de oleo,tudo OK.Pé na estrada e paramos no primeiro posto na estrada.Cheio o tanque partimos e logo em seguida minha moto parecia um liquidificador,batia valvula,ou dava impressao de perder compressao pela saida da bengala no cilindro ou pela vela ou algo parecido.Parei,olhei e nao vi nada errado e como a perfomance da moto nao mudou achei que era uma mistura de gasolina com VODKA ...é parece que aqui tambem tem adulteracao.Finalmente entramos na Siberia!Mas logo fomos parados pela policia,o guarda em frente a uma placa de 50kms/h mostrando o radar a 85.Só que nesse momento uma nuvem de mosquitos siberianos nos atacaram.Como eu ja havia lido a respeito,saquei rapidamente o Repelente Mosquita Extreme que tinha comprado e nos bezuntamos.o guardinha ali esperando.Novo papo,desenhos da placa,li o texto em russo e ele vencido pelo cansaco nos liberou.Nova economia de rublos.O que mais me impressionou foi que os mosquitos nao chegavam no guarda.Acho que a tatica dele devia ser a de nao tomar banho,pois o cara fedia e nem os mosquitos deviam aguentar.Chegamos bem,hotel bom e fomos jantar num restaurante recomendado mais uma vez pelo livro Russia e mais uma vez nota 10:só russos dancando e comida otima e agora vamos dormir,que amanha é OMSK,700kms.

quarta-feira, 7 de julho de 2010

EKATERIMBURG

O reboque da BMW chegou em Miass para pegar a moto ja era em torno de 22hs,carregou a moto e ia saindo por volta de 23hs e aí resolvemos dormir la,pois seriam umas 4 horas de viagem e iriamos chegar de madrugada sem necessidade .Hoje dia 07/07 dei carona pro Marcio na minha moto e fizemos uma viagem rapida e tranquila,estrada boa,poucos caminhoes,unico imprevisto foi um guarda que nos parou e mostrou o radar:115kms/h e falou que o limite era 100.
Argumentei que era brasileiro,achei que o limite era 120 e que nao tinha placas sinalizando 100kms/h,aliás nao tem placa nenhuma,voce tem que adivinhar,ir seguindo o fluxo.Ele entao entendeu,aliviou e nos deixou seguir.Nao falei que os caras nao sao bicho papao?Aí voces me perguntam:po tá falando russo bem assim?Claro que nao,foi entendido tudo num desenho num bloquinho que levo no bolso,desenhei a placa com 120,fiz um X para mostrar que nao tinha,mímica e tudo mais.Enfim nos safamos de ter que morrer com alguns rublos,mais uma vez.
Correcao,aqui ainda é considerado Regiao dos Urais,entramos oficialmente na Siberia West amanha,quando vamos para TYUMEN.
Outra coisa, a chave da moto nao apareceu.Pra nao acreditar em fantasma,a unica explicacao é que deve ter caído por dentro da moto e se perdido no caminho.

terça-feira, 6 de julho de 2010

MIASS

Estrada Kazan/Miass ,tambem o mesmo,muita obra,caminhao,cidades,incrivel como a Russia parece estar em ebulicao,todas cidades congestionadas de carros,que se misturam,Mercedes e BMWs as mais caras e os velhos LADAS,nossos conhecidos,que por incrivel ainda continuam sendo fabricados iguaizinhos.Depois uns 540kms o GPS nos colocou dentro de UFA e foi um ufa pra sair dela e achar a estrada.Transito infernal,caótico e devo ter feito uma entrada errada e aí ficamos dando volta e perdemos mais de 1 hora,até que parei um taxi e pedi pra ele nos levar na saida,isso tudo em russo,imaginem.Paramos no 1o. posto pra relaxar e seguimos pra MIASS.De repente apareceram os Montes Urais,que teoricamente separam a Russia Europeia e Asiatica,onde comeca a West Siberia.Curtindo aquela visual e de repente a moto do Marcio pifa total,apagao geral.Paramos no acostamento,ja eram umas 20hs.Urgia uma solucao!Resolvi voltar uns kms atrás onde tinha uma venda na estrada pra procurar uma corda e quando fui dar partida na minha moto,cade a chave,simplesmente sumiu!!!nem no chao,nem nos bolsos,nem na moto,evaporou...a sorte é que o macaco velho aqui tinha 2 copias no bolso do casaco e foi a sorte,no dia anterior estavam dentro da mala,que fica trancada!!!Fui la e voltei com uma super corda de 4 toneladas.Amarracao perfeita nos chassis e saí rebocando Marcio e sua GS pelos URAIS afora,Foram 160kms de noite até chegar em MIass e aí comecou a novela de achar o hotel que fica na beira de um lago.Paramos um taxi na cidadezinha que nao tinha viva alma na rua e quando conseguimos explicar em russo onde queriamos ir o taxi nao pegou,arriou a bateria!!
Passou outro e aí tive que ligar pra Olesia em Moscow as 1.30hs da manha pra ela explicar para o russo.ficaram horas em confabulacao e finalmente ela me falou que ela estava com um passageiro,ia leva-lo e voltava,que aguardassemos.Depois de uns 20 minuto o car voltou e nova maratona,o hotel era fora da cidade e fizemos umas 500 curvas até chegar,isso rebocando a moto,claro.Quando finalmente chegamos o guarda nos mandou deixar a moto no estacionamento e levar as bagagens uns 500ms até a recepcao.Isso ja eram 2hs da manha horario de Moscow e 4 daqui.Burocracia,carimbos,carregando malas fomos dormir,pra comer NIET,'nem paozinho.Banho e cama.Acordamos as 9 pra tomar cafe e só tinha russo,nos os unicos estrangeiros.O s caras comem salada,macarrao,linguica,um tipo de feijao,enfim almocam de manha.Depois contatamos a Olesia da nossa agencia em Moscow e finalmente tivemos a boa noticia que uma caminhonete vem de Ikaterimburg,onde tem uma revenda BMW pra buscar a moto .No momento estamos aguardando e vamos almocar pois senao viramos faquir.Até o proximo capitulo de Ikaterimburg,capitulo extra claro.Abracos a todos

KAZAN

A estrada Moscow/Kazan é um repeteco melhorado,alterna pistas duplas com simples,muitos caminhoes,obras,guardas,ninguem ultrapassa na linha contínua,por incrivel que pareca.Ultrapssamos um carro num trecho de obra e apesar da linha pontilhada o guarda nos parou e disse que nao podia.Argumentei que a linha nao era continua,mas queriam mesmo era grana.Quando viu que eramos brasileiros e falou de futebol,aproveitei logo a deixa e fui na moto e trouxe 2 camisetas da selecao e dei pra eles e aconversa mudou na hora,li o texto que havia preparado em russo,pedindo deculpas por qualquer erro,nos ajudem nao falamos russo,etc...A estrategia foi perfeita;comecaram a rir e nos liberaram.O guarda rodoviario bicho papao russo virou uma dama...Chegamos em Kazan a tempo de tirar is umas fotos do Kremlim local que tem muita historia tambem.Kazan fica na Republica do Tatarstan,independente,com 2 linguas,tipo Pais Basco na Espanha.A origem deles nao sao dos Tartaros de Gengis Khan e sim sao turcos provenientes da Bulgaria,que tem o dominio da cultura local.Ali tem grande industria do petroleo e da aeronautica russa.Fomos jantar num restaurante dica do livro Russia que a Marina me deu e agradavel surpresa,local bacana e comida idem.

MOSCOW

Como as fotos mostram, saimos dos paises Escandinavos e entramos na Russia, a uniformidade dos campos muda radicalmente, as casas sao de madeira, velhas , sem pintura, ou seja , pobres. A vegetacao,os pastos sao mal cuidadados, nem sombra daquela perfeicao escandinava. A estrada de S.Peter pra Moscow é toda esburacada, cheia de "trilhos"de caminhoes, passa por dentro de pequenas cidades, com transito e sinais, enfim a viagem nao rende. Rodar 850kms é como ir do Rio a Marilia por estradas de mao unica, passando por dentro de cidades, cheia de caminhoes, lembra as estradas do Nordeste.
Em Moscow pra compensar o hotel de S.Peter,o hotel Cosmos é otimo, apesar de muito grande,1050 quartos, com uma vista de toda Moscow, ficamos no 25 andar e consequi reverter o quarto duplo em 2 singles pelo mesmo preco na nossa agencia, mordomia... Na mesma noite, mesmo cansado liguei pro Zhenia do Night Wolves, maior motoclube da Russia amigo que fiz pela Internet. Ele veio me buscar(Marcio apagou e nao foi) com um amigo num Passat preto, pareciam 2 da Mafia Russa, mas entrei no carro e rezei. Deram voltas passaram pelo Kremlim pra me mostrar de noite e depois fomos para o BikeCenter, mas fiquei com medo no caminho que ia ser era sequestrado. Mas mantive a pose e finalmente chegamos. As fotos saíram escuras pois o lugar é tipo Hell's Angels, mas as pessoas super simpaticas e colaboradoras. Jantei la, bom steak e salada e o Zhenia chamou um amigo que conhece bem a rota dificil e ele me deu todas as dicas. Alem disso ganhei camiseta do Bike Show em 24/7 em Sevastopol e uma escrita em russo"Sou um motoqueiro russo"!!!!, alem da bandeira russa que botei na minha moto e uma bandeira da Marinha Russa!!! Os caras sao hiper patriotas e adoram comemorar a vitoria sobre os nazistas.
Dia seguinte city tour com motorista e Irina, nossa guia russa super profissional, nos levou pra Moscow toda, Red Square, Catedral linda ao lado,etc... Arrumamos um guia pra nos nos levar em busca de um mapa completo da Russia pro GPS e fomos parar de metro(3 trocas) num tipo InfoBarra que é onde devem estar todos os Hackers russos juntos, mas o que ele tinha era igual o nosso, o completo era só em russo,o que nao ia resolver muito com meus parcos conhecimentos da lingua.